AMS dating Forams

Datação por radiocarbono de Foraminíferos e ostracóides

Tamanho de amostra recomendado (É possível fazer a análise de amostras menores – Por favor entre em contato conosco para maiores informações)
4 a 10 miligramas
Recipiente recomendado
Use frascos com tampas de rosca, microtubos, ou slides antes de colocá-los em um saco rotulado e com fecho zip.
Recomendamos que o envio das amostras seja realizado em pequenas caixas sempre que possível (em vez de usar envelopes) para proteger a integridade física das amostras durante o seu transporte.
Os pre-tratamentos do laboratório não podem ser aplicados em amostras de foraminífera menores de 10 mg.

Obs – As taxas incluem medições de d13C, relatórios de garantia de qualidade, calibração de calendário quando necessária, acesso eletrônico permanente a resultados anteriores e análises em andamento. Para algumas pequenas amostras, pode não ser possível medir e relatar um resultado d13C separado. No entanto, o fracionamento total corrigido será contabilizado no resultado final.

Pré-tratamento – As amostras de carbonato com menos de 10 mg, como foraminífera, podem ser pequenas demais para uma decapagem química. Portanto, as amostras serão analisadas sob um microscópio e fotografadas, mas não decapadas com ácido. Em alguns casos, a amostra pode ser submetida às ondas sonoras para remover os detritos, mas sem utilizar ácido. Como resultado do pré-tratamento é obtido o teor de carbonato a granel da amostra enviada. Não é necessário pré-tratamento para amostras pequenas. Se você tiver alguma dúvida sobre o pré-tratamento da sua amostra, entre em contato conosco para discutir isso melhor.

Foraminíferos Pré-tratamento Beta Analytic

Correção de reservatório – Favor indicar o Delta+R / Delta–R apropriado (correção de reservatório localizado) referente à região onde a amostra foi coletada para que possamos fazer a calibração de calendário mais apropriada ao resultado. Uma correção Delta±R é aplicada à amostra, uma vez que a mesma tenha passado pela correção de reservatório marinho global. O valor fornecido pelo cliente é subtraído ou acrescentado a esta idade já corrigida (dependendo do valor: Delta+R ou Delta-R). Nota: Um valor negativo Delta-R resultará em uma data mais antiga (tipicamente presumindo a diluição de água doce a partir da média marinha global).

Tamanho de Amostras para Foraminiferos – Idealmente, nos gostaríamos de receber ao menos 4-10 mg de foraminíferos limpos, para que possamos medir e relatar o d13C para a amostra. Nós podemos fazer uma datação AMS rotineiramente em amostras de foraminíferos com um valor na área de 3 mg. Entretanto, estaremos trabalhando com um mínimo de limite de detecção.Com pelo menos 4 mg, nós podemos aplicar alguns tratamentos para remover materiais exógenos. Estes tratamentos provaram ser efetivos em aumentar a precisão em alguns casos. Além disso, nós não poderemos prover valores de d13C e d18O em amostras de 2 mg. Geralmente pelo menos 3.7 mg é necessário para dados adicionais isotópicos.Se não tivermos carbonato suficiente para o d13C e o d18O, nós procederemos com a datação AMS e você terá a opção de mandar material adicional separadamente para medirmos estes isótopos. De qualquer forma, as datações AMS serão corrigidas para efeitos fraccionários totais.

Embora recomendamos o envio de no mínimo 10 mg de ostracóides, sabemos que nem sempre é possível obter esta quantidade. A quantidade mínima que podemos aceitar é 5 mg, apesar disto causar limitações aos pré-tratamentos e à medição da razão d13C.

Você poderá enviar as amostras de ostracóides em lâminas para contagem, mas certifique-se de que a tampa de vidro seja fechada com fita adesiva para que não se movimente durante o transporte. Alternativamente, você poderá colocar os ostracóides em um frasco de vidro com uma tampa de rosca pequena ou em um tubo de microcentrífuga de plástico. A parte superior deverá ficar bem firme. Coloque as lâminas, os tubos ou frascos em uma sacola ou bolsa com fecho. Certifique-se de que as sacolas ou bolsas estejam bem protegidas com plástico bolha ou algum outro material para evitar danos durante o transporte.

Encontrados em todos os ambientes marinhos, os foraminíferos são organismos unicelulares sem tecidos ou órgãos. Eles são pequenos, variando de vários milímetros a algumas dezenas de microns. Os foraminíferos podem ser plantônicos ou bentônicos. Os foraminíferos plantônicos vivem na região superior do oceano, enquanto os foraminíferos bentônicos são encontrados no fundo do oceano ou debaixo dele.

Os foraminíferos são frequentemente usados em estudos bioestratigráficos e reconstruções paleoambientais. Os foraminíferos bentônicos são excelentes indicadores da profundidade do oceano e, por este motivo, eles são frequentemente utilizados em pesquisas paleo-oceanográficas. Os foraminíferos plantônicos são encontrados no oceano aberto e frequentemente são usados como indicadores das correntes oceânicas e climas. Os pesquisadores também usam os foraminíferos para estudar a poluição marinha.

Ostracóides (Ostracoda) são pequenos crustáceos encontrados tanto em água doce como em habitats marinhos. De acordo com a organização “British Geological Survey”, os ostracóides costumam ter entre 0,5 e 1,5 mm de comprimento, embora alguns deles, tais como os gigantocypris, cheguem a 25 mm. Diferentemente da maioria dos crustáceos, os ostracóides não são segmentados e suas cabeças e corpos são amalgamados. Os cientistas usam os ostracóides em estudos paleolimnológicos de abordagem multi-proxy.